Coronavírus e os negócios: as orientações do Sebrae-SP para a crise



Uma crise de saúde pública está mexendo com o mundo todo. O novo coronavírus, batizado de Covid-19, começou na China, identificado em 31 de dezembro do ano passado e, aos poucos, foi avançando em direção a outras regiões do planeta, com mais de 100 países com registro de casos.


Os infectados pelo novo coronavírus desenvolvem sintomas parecidos com os da gripe, como coriza, dor de garganta, dor no corpo, tosse e febre. As autoridades em saúde destacam a tosse e a febre como os sintomas mais significativos e que deve gerar preocupação se a pessoa também sentir dificuldade de respirar/falta de ar.


Por enquanto, o novo coronavírus representa perigo maior para idosos ou pessoas com saúde debilitada, com doença crônica, como cardíacos e diabéticos, ou com a imunidade reduzida, como soropositivos ou pessoas em tratamento contra o câncer.


No geral, a infecção do novo coronavírus não é grave para pessoas mais jovens e saudáveis. Ainda assim, o objetivo é conter a disseminação das infecções o máximo possível e a estratégia mais indicada para isso é o chamado isolamento social. Ou seja, as pessoas devem evitar sair de casa e de circular pelas cidades, apenas em casos de necessidade.


Com isso, o impacto sobre os negócios é direto. Com as pessoas em casa, comércio e serviços são os setores que mais sofrem. Ainda não se sabe até quando seguirá essa situação, calcula-se que esse cenário de isolamento deve se estender até pelo menos o final do mês de abril.


Por isso, o Sebrae-SP preparou algumas orientações para os empreendedores atravessaram esse período. Elas serão atualizadas quando necessário.


CUIDADOS COM O SEU NEGÓCIO


Caixa

As PMEs devem ficar atentas ao seu caixa, negociando e renegociando prazos com seus fornecedores para que ganhem fôlego nesse período de aperto financeiro. Também devem ficar atentas às linhas de financiamento colocadas pelo Governo Federal e Estadual para empresas com dificuldades financeiras devido à pandemia.