Especialista ensina estratégias para reduzir os efeitos da crise nos negócios



É hora de assimilar que o mundo que existia há um mês não existe mais. E, quanto mais rápido nos dermos conta disso, mais facilmente nos adaptaremos a essa nova realidade. Como bem disse Charles Darwin, “não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas aquele que melhor se adapta às mudanças”.


Assim, criatividade e resiliência devem ser palavras-chaves no dia a dia dos negócios daqui pra frente. Por isso, Luciana Ikedo, assessora de investimentos e sócia-proprietária do escritório Ikedo Investimentos, elegeu algumas dicas para ajudar empreendedores e empresários a reduzir os efeitos da crise e passar por essa fase da melhor forma.

Confira:


Fluxo de Caixa

Faça uma projeção para os próximos 4 meses considerando os custos fixos que não podem ser cortados;

Fornecedores

Negocie a possibilidade de redução nos valores acordados antes da crise;

Dê atenção especial às dividas

Solicite a prorrogação das suas dívidas bancárias. As cinco principais instituições bancárias do país anunciaram recentemente que estão comprometidos em atender pedidos de prorrogação, por 60 dias, dos vencimentos de dívidas de clientes pessoas físicas e micro e pequenas empresas para os contratos vigentes em dia;


Tributos

Fique atento às medidas de prorrogação de vencimento de tributos, como a do Simples Nacional que já foi aprovada e posterga os vencimentos de março, abril e maio de 2020;

Refaça seu orçamento